Artigos 

foto-harry-alta3.jpg

Eu admito: sou muito mais velho fisicamente do que acho que sou mentalmente.

Estou tentando me manter na era digital, da melhor forma possível. Tenho perfil no Facebook, escrevo um tweet de vez em quando, e até mesmo passo um tempo lendo um ou dois blogs. Tudo está evoluindo muito rápido.

Eu me inscrevi em alguns blogs sobre varejo e, de fato, é interessante ver o que os desenvolvedores de software e fabricantes de gadgets estão oferecendo para os varejistas. Não é merchandising, lembre-se, apenas recursos para chamar a atenção dos clientes e trazê-los para dentro da loja, ou para ser mais eficiente. Será? Não tenho certeza.

Vender no varejo sempre será uma coisa emocional, 

 porque essencialmente o varejo é uma relação de pessoa para pessoa. Só que as novas tecnologias são desprovidas deste princípio. Isto obviamente não inclui a Internet, que está nos empurrando de volta à idade da pedra.

Parece que os grandes varejistas anunciam uma nova tática a cada dia para nos induzir a comprar. Uma hora é um provador virtual, outra é um novo aplicativo para o smartphone. Me sinto bombardeado. Mas eu tenho algumas perguntas, já que não conheço ninguém que me diga que deseja essas coisas.

E com relação aos fundamentos? Os básicos. Leis ou regras sobre a operação de uma boa loja de varejo. Para mim, uma boa loja de varejo pode se enquadrar em qualquer categoria, basta funcionar bem.

Você está se movendo tão rápido que não tem tempo para ver se a sua equipe pode, e mais importante, se ela quer executar alguns dos fundamentos que o tornaram famoso ou que poderiam torná-lo famoso? Provavelmente não.

Sem querer parecer ranzinza, eu acho que é preciso estabelecermos um compromisso nesse momento. Traga todas as novidades, eu posso aguentar. Mostre-me as formas mais sofisticadas de fazer as coisas, e eu sobreviverei. Mas de vez em quando, me olhe nos olhos e interaja comigo por apenas um segundo ou dois. Me faça acreditar que eu sou importante, em algum grau. Você sabe, o "cliente é o rei", esse tipo de coisa...

Eu acredito que as coisas estão evoluindo rapidamente, mas não apenas porque a tecnologia está se movendo rápido. De muitas maneiras, tudo sempre se moveu rápido para a época. Nós nos tornamos a sociedade do "quero mais" e "quero mais rápido". A quantidade está superando a qualidade, em muitos aspectos de nossas vidas.

Como muitas pessoas, eu assino uma TV a cabo. Quando decidi contratar esse serviço, estava em busca de opções e, bem ao meu estilo, escolhi ter 200 canais. Então, o que aconteceu? Eu só vejo as notícias, porque não há mais nada interessante além disso. É uma mostra do que acontece a nossa volta.

Um dos meus livros favoritos, "Coney Island of Your Mind", de Lawrence Ferlinghetti, tem um poema que termina com "e surge o agente funerário". Continuamos a enterrar nossos conhecidos. Basta ler os jornais. Varejista após varejista, em morte lenta, ou mesmo rápida. As autópsias confirmam que constava a palavra "tédio" nos atestados de todos eles. Nenhum deles costumava olhar nos olhos dos clientes. Nenhum deles realmente se lembrou de fazer o cliente se sentir um rei. Talvez isso seja um elemento fundamental para se ter em mente. Quero vê-los todos bem vivos!

Harry J. Friedman

Fundador do The Friedman Group

  • Compartilhe: